1 – INTRODUÇÃO SISTEMA DE ALARME

2 – COMPONENTES DO SISTEMA DE ALARME
2.1 – PAINEL DE ALARME
2.2 – BATERIA
2.3 – SIRENE
2.4 – SENSORES
2.5 – BOTÃO DE SOS

3 – MONITORAMENTO ELETRÔNICO

4 – DISPAROS FALSOS

5 – SERVIÇOS
5.1 – CONTROLE DE ABERTURA E FECHAMENTO
5.2 – CHECAGEM DE UNIDADE VOLANTE
5.3 – MONITORAMENTO POR GPRS

6 – MANUTENÇÃO TÉCNICA
6.1 – MANUTENÇÃO TÉCNICA PREVENTIVA
6.2 – MANUTENÇÃO TÉCNICA CORRETIVA

1 – INTRODUÇÃO SISTEMA DE ALARME
Sistemas de alarmes são indispensáveis nos dias atuais, em qualquer tipo de estabelecimento. São compostos por um conjunto de equipamentos eletrônicos que controlam movimentações em horários não permitidos ou emitem sinais de emergência silenciosos com o objetivo de avisar uma atitude e/ou ação suspeita. O sistema de detecção tem como objetivo inibir e prevenir a entrada de pessoas não autorizadas em uma determinada área. É importante salientar que os alarmes apenas indicam uma situação adversa, sendo de suma importância a cumplicidade do usuário para seu perfeito funcionamento.

2 – COMPONENTES DO SISTEMA DE ALARME
Seu sistema de alarme é composto pelos seguintes equipamentos, dependendo de sua necessidade:
2.1 – PAINEL DE ALARME OU CENTRAL DE ALARME
Visto como o cérebro de seu sistema de alarme. Controla, envia e recebe sinais dos sensores espalhados no imóvel. O painel de alarme é dividido por “zonas” ou “setores” que identificam com precisão o ambiente violado. E por ser micro-processado é totalmente programável, como opção por zonas 24 horas e modificação da temporização de entrada e saída. Gerenciado por um teclado, permite inclusão de operações como arme, desarme e verificação de status.
2.2 – BATERIA
Permite o funcionamento de seu sistema caso ocorra uma falta de energia. Essa bateria é constantemente monitorada pelo painel de alarme que avisa caso sua carga esteja baixa.
2.3 – SIRENE
Na detecção de um evento, a sirene emite um sinal sonoro entre 105 à 120 dB, com o intuito de inibir uma possível invasão.

2.4 – SENSORES
São os dispositivos que identificam alguma movimentação. Temos diversos tipos de sensores dependendo da sua necessidade. Devem ser necessariamente supervisionados por você cliente, avisando à central caso alguma manutenção seja necessária, como queda do equipamento ou alteração do ambiente em que ele se encontra. Sem o perfeito funcionamento dos mesmos não é possível a identificação de movimentações, podendo até ser um transtorno para o sistema com disparos em falso. Procure sempre, indispensavelmente, manter o ambiente monitorado isolado de correntes de ar, que é o maior problema em acionamentos equivocados.
2.5 – BOTÃO DE SOS / PÂNICO
Equipamento que, quando acionado, avisa a central de monitoramento sobre alguma emergência. Caso possua este dispositivo, teste-o constantemente e lembre-se que, após acionado, providências serão tomadas. Portanto fique atento ao toque do telefone.

3 – MONITORAMENTO ELETRÔNICO
Consiste na recepção e análise dos sinais enviados pelos equipamentos instalados no local monitorado. Este envio pode ser de duas formas: a) Linha Telefônica; b) GPRS (Transmissão sem fio). Em ambos os casos dependemos de serviços prestados por empresas de telefonia, sobre os quais não temos controle. Caso você tenha optado pela transmissão por linha telefônica, lembre-se que ela é o único meio de transmissão entre seu alarme e a central de monitoramento, estando sujeito ao não recebimento do evento caso este meio seja sabotado ou tenha algum problema técnico. Já com a transmissão via GPRS, utilizamos a rede GSM de celular para transmissão dos eventos, ficando a linha telefônica com status de backup. Para podermos executar um serviço de monitoramento com qualidade e eficiência é muito importante que você cliente mantenha seus dados atualizados junto à central de monitoramento. Caso haja alteração em seus dados, notifique-nos via e-mail: monitoramento@seglink.com.br ou nos telefones: (85) 2181-6300 e (85) 99980-5051.

4 – DISPAROS FALSOS
Ao acionar seu sistema de alarme verifique se todas as portas e janelas estão devidamente fechadas, os maiores índices de alarmes falsos são causados por correntes de ar muito bruscas ou pequenos animais que entram no imóvel.
Os sistemas eletrônicos de segurança têm função preventiva e são instalados para evitar ou acompanhar, quando monitorados, roubos, vandalismo, assaltos, fogo, emergência médica, linha de montagem e níveis tóxicos ou de temperatura, entre outros. Dados fornecidos pelas centrais de monitoramento mostram a eficiência do sistema: a cada 100 tentativas de furtos em estabelecimentos com alarmes, 94% fracassam; o número de estabelecimentos roubados sem alarmes é três vezes maior e a quantidade de bens roubados em estabelecimentos sem alarmes é 10 vezes maior que os que possuem alarmes.”

5 – SERVIÇOS
5.1 – CONTROLE DE ABERTURA E FECHAMENTO
Este serviço tem como objetivo identificar um esquecimento de alarme do sistema ou uma desativação fora do horário habitual. Por exemplo, caso você esqueça-se de ativar seu alarme, entraremos em contato no local para verificar se há alguém presente no recinto. No caso de resposta negativa, solicitaremos a um responsável que realize a ativação do sistema. Podemos exemplificar também outra situação: caso você desative fora de um horário pré-determinado, entraremos em contato para verificar a divergência de hábito.
5.2 – CHECAGEM DE UNIDADE VOLANTE
Caso seu alarme dispare enviaremos uma viatura da empresa para constatar alguma evidencia de anomalias em seu estabelecimento. Este serviço tem exclusiva função de verificar o motivo do disparo do alarme e não tem autonomia para tomar qualquer tipo de ação ostensiva.
5.3 – MONITORAMENTO POR GPRS
Este serviço proporciona maior tranquilidade na recepção do sinal de alarme, não dependendo apenas da linha telefônica e evitando o não recebimento do sinal, caso ocorra uma falha em linha ou alguma sabotagem.

6 – MANUTENÇÃO TÉCNICA
6.1 – MANUTENÇÃO TÉCNICA PREVENTIVA
A Manutenção Técnica Preventiva contempla os serviços efetuados para manter os equipamentos funcionando em condições normais, tendo como objetivo diminuir as possibilidades de paralisações, garantindo que o conjunto dos equipamentos esteja em permanente condição de operação.
6.2 – MANUTENÇÃO TÉCNICA CORRETIVA
A Manutenção Técnica Corretiva contempla os serviços de reparo com a finalidade de eliminar todos os defeitos existentes nos equipamentos identificados por meio de diagnóstico, bem como da correção de anormalidades, da realização de testes e regulagens que sejam necessárias para garantir o retorno do equipamento às condições normais de funcionamento.
Caberá ao Cliente, nos informar via e-mail: monitoramento@seglink.com.br ou nos telefones: (85) 2181-6300 e (85) 99980-5051 qualquer tipo de anormalidade no Sistema, para que possamos verificar as possíveis falhas relatadas, as mesmas serão sanadas de imediato, observando os prazos previstos, conforme contrato.